logo pisa

 

Programme for International Student Assessment (PISA), desenvolvido pela OCDE, visa avaliar se os alunos de 15 anos – idade em que, na maior parte dos países participantes, os alunos se encontram no final da escolaridade obrigatória – estão preparados para enfrentarem os desafios da vida quotidiana.

O PISA foi concebido para avaliar se os alunos conseguem mobilizar as suas competências de Leitura, de Matemática ou de Ciências na resolução de situações relacionadas com o dia a dia, e não se são capazes de reproduzir os conhecimentos adquiridos nessas áreas. Também é avaliada a Resolução Colaborativa de Problemas e a Literacia Financeira.

Os testes do PISA  são elaborados de acordo com um Quadro de Referência (veja-se a Framework do PISA 2015) comum a todos os países da OCDE.   

As aplicações do PISA ocorrem em ciclos de três anos. Em cada ciclo do PISA, é dada ênfase a uma das áreas avaliadas (Leitura, Matemática ou Ciências), como se segue:

  • Leitura - 2000, 2009, 2018
  • Matemática - 2003, 2012
  • Ciências - 2006, 2015
  • Resolução Colaborativa de Problemas - 2015

 

Portugal participou em todos os ciclos PISA até à data – 2000, 2003, 2006, 2009, 2012 e 2015 – e participa no ciclo de 2018.

Em cada ciclo do PISA, são selecionados alunos de 15 anos, através de um processo de amostragem em duas fases. Na primeira fase, é constituída uma amostra aleatória estratificada de escolas. Na segunda fase, são identificados, nas escolas selecionadas, todos os alunos elegíveis para a realização dos testes (os alunos que têm 15 anos e que frequentam, pelo menos, o 7.º ano de escolaridade). Destes, são selecionados aleatoriamente, pelo consórcio internacional, cerca de 40 alunos em cada escola participante.


Prova e questionários de contexto

A prova é constituída por vários cadernos de teste que combinam itens das diferentes áreas avaliadas. Cada aluno responde apenas a um caderno de teste. Os itens do PISA não são públicos, o que permite a comparação dos resultados ao longo das várias edições do estudo e a identificação de tendências nos resultados. 

Em cada ciclo do PISA são libertados alguns itens que deixam de fazer parte das provas e que ilustram o tipo de situações apresentadas aos alunos.

No PISA, são também recolhidas informações através de questionários aplicados aos pais, aos alunos às escolas, que permitem contextualizar os resultados. O PISA dispõe, assim, de dados que permitem identificar fatores que influenciam o desempenho dos alunos nos vários domínios de literacia.

O PISA faz um retrato de cada país e compara-o com os restantes, proporcionando uma medida da eficácia da educação de cada país face aos padrões de desempenho estabelecidos pela OCDE. Apesar de não permitirem identificar os efeitos da política educativa de cada país, os resultados do PISA possibilitam que os decisores revejam as suas políticas e estabeleçam metas baseadas em padrões de desempenho definidos internacionalmente.


 Pode conhecer as principais características e objetivos do PISA no vídeo produzido pela OCDE.